Posts mais recentes
Sobre o amor às palavras...



Elas nascem de nossos desesperos, de nossos medos e devaneios. De nossos amores, de nossas paixões e perdas. Porque toda saudade vira poesia.
Nascem feito sementes, pequenas, solitárias e crescem à medida que as regamos com nossas incertezas.
Por que as incertezas precisam regá-las? Seriam as raízes se formando? Formando artérias no âmago de nossas almas. Conduzindo a seiva do conhecimento para florir o mundo.
Por mais que as palavras não traduzam tudo o que sentimos, elas florescem, abrindo portas à compreensão. Traduzindo o mundo para acalmar nossos anseios e devaneios.
Afinal, onde nascem as palavras?
Nascem no jardim de nossa alma, de nossa emoção, de nossa intelectualidade. Brotam de nossos sonhos e de nossos insucessos.
Simplesmente nascem e seguem seu curso, como folhas ao vento, como mensageiras de esperança, como gotas que saciam nossa sede de viver.

Palavras curam e alimentam. Após o insucesso, é preciso levantar e são elas que fazem perseverar. Algumas doses diárias são o suficiente...

(Joyce Costa e Cláudio Pires Cardoso)

Oii pessu! Demorei mas voltei! :D
Hoje é dia de TAG! E com a participação especial da Luana diva Neves que topou gravar comigo! E mais: Este é apenas o primeiro vídeo porque esporte bet vem mais por aí. Foi um dia super divertido de gravação, com direito a muitas risadas, conversas, almocinho delícia e descontração (amei Lu, quero mais dias assim)! Bom, tá na hora de revelar a tag: como podem perceber no título do post esporte bets, fizemos a tag "Isso ou aquilo" e acabamos nos conhecendo melhor através das perguntas divididas em vários temas de feminices! ♥ haha Bora conferir?


Pra quem quiser fazer a tag, ficarão as perguntas logo abaixo, assim como, para quem quiser responder aqui nos coments e dividir suas preferências com a gente ;)

Maquiagem
1. Bronzer ou blush?
2. Máscara ou delineador?
3. Corretivo ou base?
4. Sombras coloridas ou sombras neutras?
5. Compactas ou sombras soltas?
6. Pincel ou esponjinhas?

Unhas
1. Esmates : Impala, Risqué ou Colorama?
2. Compridas ou curtas?
3. Claros ou escuros?
4. Com ou sem florzinha?

Corpo
1.Perfume ou body splash?
2.Manteiga ou hidratante?
3. Sabonete em barra ou líquido?

Cabelos
1. Enrolados ou lisos?
2. Rabo de cavalo ou coque?
3. Spray ou gel?
4. Curto ou comprido?
5. Claro ou escuro?

Perguntinhas Aleatórias
1. Chuva ou sol?
2. Verão ou inverno?
3. Primavera ou outono?
4. Chocolate ou baunilha?

Espero que tenham curtido! Se quiserem deixar sugestões de tags e vídeos, serão muito bem vindas e vamos adorar responder também aposta esportiva bet
Beijinhos!



Onde dormem as borboletas? Dormem nas prateleiras de nossos sonhos? Ou será que pousam nos galhos de nossa imaginação?
E quando acordam, despertam de nossos sonhos ou despertam os sonhos? Voam livremente em nossa imaginação ou apenas se aprisionam?
Borboletas são borboletas esporte online bet. Filhas da crisálida. Precisam enclausurar sua existência para gerar-se de novo.
Por onde passam espalham o encanto, semeiam esperança e ressuscitam sonhos
Abrem sorrisos, 
Transmitem beleza
E suavidade.
Pra lembrar que a vida,
Embora efêmera,
Tem lá seus encantos.
Onde dormem as borboletas? Em um passado distante? Às margens do nosso íntimo?
Elas dormem nas lembranças?
Na memória?
Na infância?
Eu só sei que elas dormem.
Dormem quando paramos de sonhar, quando nossas memórias são esquecidas, quando nossa infância é aprisionada.
De tão silenciosas e belas faz-nos esquecer, no sonho tranquilo, de todo gris. 
E dormem, não se sabe onde nem quando, para voltarem enérgicas à imensidão de suas asas.

(Por Joyce Costa e Cláudio Pires Cardoso)

Oi pessu! Há tempos não posto looks do dia aqui, então aproveitei o feriado, mais especificamente, o domingo de Páscoa para fotografar o look que usei nesse dia. Como o tempo estava nublado, mas ainda assim, quente, aproveitei para usar meu amado vestidinho de poá acinturado. Fiz um "raio X" do look para facilitar a visualização (gosto deste esquema, o que vocês acham?).



Quem me acompanha no instagram (@joycecostaa), no facebook e no snap (segue lá: joycedreamy), sabe que os keds brancos têm sido minha mais nova paixão. Não largo por nada! rs Uso com calça jeans, vestido, short... ele é incrivelmente atemporal! Uma peça-chave e tanto, que longe de deixar o look sem graça, apenas complementa, apesar da simplicidade (menos é mais, minha gente!).


Usei essa bolsa de franja linda, que infelizmente não deu para fotografar mais de perto (começou a chover, pois é). Mas olha só o movimento! haha adorei o clique espontâneo! É outra peça que não me abandona, pois assim não carrego nada além do necessário.


Vestido: Marisa  Sneakers: Keds ♥ Bolsa: Não lembro


"Todos os dias me esforço para ser uma pessoa um pouco melhor. Quando acordo, logo penso: que eu seja melhor que ontem. Que minha cabeça esteja mais aberta, que meu humor esteja melhor, que eu não brigue por besteira, que eu não cometa os mesmos erros do passado, que eu tenha serenidade, que eu consiga vencer o dia, que eu saiba discernir o certo do errado. A minha parte, pelo menos, estou fazendo. Ou pelo menos tentando." - Clarissa Corrêa.


Oi gente! To sumidinha por aqui, mas em época de provas na facul, só dá para aproveitar o feriado mesmo rs. Hoje eu trouxe uma das blogueiras gringas que eu acompanho e adoro em questão de estilo. Estou falando da Agnieszka, autora do "Paradiska - Life is Beautiful". Seu estilo é urbano casual e bem inovador, eu diria que até mesmo, alternativo.


O que me encanta em Agnieszka é a simplicidade e o quanto de referência de moda ela introduz nos seus looks tão casuais. Podemos observar o jeans destroyed, casacos de pelo, botas over knee, all star e muito xadrez! 


Acredito que o truque seja apostar em peças-chaves, de cores sóbrias e adquirir algumas com toque de cor e estampadas. Aprendi a fazer isso com a blogueira em questão, e não é que tudo se torna muito versátil?


As botinhas também são queridinhas de Agnieszka por viver, aparentemente, em uma região fria. Sem abrir mão da velha e boa calça jeans.


E não é que a Ag só tem 18 aninhos? E podemos renovar o closet apenas nos inspirando nela. O guarda-roupa nunca mais será o mesmo com suas dicas: bem mais versátil.
Beijos!!

Oi gente! Resolvi dar uma passadinha breve por aqui para dividir com vocês as músicas que mais estou ouvindo no momento. Na playlist tem o novo EP de 3 faixas do Tiago Iorc (to apaixonada!), Clarice Falcão com seu CD novo, Rihanna, Justin Bieber e muito mais... Dá o play! :D


Curtiu? Se identificou com algumas? Aproveita pra me seguir no Spotify! Qual música não sai da sua playlist esse mês??
Diz aí, quero saber! :D
Beijos!



Leia ouvindo Happy together (Simple Plan)

A felicidade é permanente? é momentânea? Está ao lado? Ou em outro país? Ela chega devagar? Ou tão depressa que a gente nem percebe? Felicidade tem nome? É um lugar? Ou de comer? Onde ela mora? Para muitos, nos pequenos detalhes. Chega, conversa, se mostra e vai embora, dando espaço à tristeza e à nostalgia nos ensinando como valorizá-la. Felicidade pra mim tem nome: o nome de alguém que põe um sorriso no seu rosto, o nome de um lugar que marcou uma viagem inesquecível. Felicidade é de comer e tem gosto de chocolate, daqueles partilhados com os amigos ao fim da tarde; de sorvete na pracinha com o namorado, de comida preferida quando a fome aperta. Mas ela não tem moradia certa. Chega como se fosse hóspede, pedindo um cantinho pra ficar na sua vida corrida, farta da rotina. A felicidade ama os detalhes cotidianos, por isso não reside nas pessoas que não param para observá-los.

Joyce Costa
Oi gente! Quem acompanhou o Oscar ontem sabe o quanto as musas do cinema arrasaram na produção (e aqueles looks maravilhososss? sempre fico desejando usar um daqueles na vida haha). Mas já que vários blogs falaram dos looks, eu trouxe as makes. Pra falar a verdade, não tem nada de muita novidade não, até porque como o Oscar é um evento bem sofisticado, acredito que os clássicos sempre terão seu espaço reservado... e essa foi a escolha da maioria. Mas o que sobressaiu? O nude! Embora o batom vermelho pra noite tenha sido a aposta de algumas delas também. Vem comigo!


Naomi Watts, Reese Witherspoon, Rooney Mara e Dita Von Teese apostaram no bocão vermelho, mas oscilando quanto à tonalidade, desde o mais aberto ao mais fechado... Amei o da Dita, ainda mais combinado aos olhos delineados!



Jennifer Lawrence preferiu uma make mais básica, daquelas "acordei linda", pra noite. Não sei se eu usaria em um evento como este, mas vamos considerar pelo fato de o vestido ter aquelas camadas todas de renda preta, ok? Já Olivia Munn usou um batom alaranjado que sobressaiu aos olhos. E Lady Gaga divou com estes olhos acobreados e o batom mais neutro.


Agora, o que dizer dessa gente linda que apostou no nude pra noite?? Eu sou apaixonada por batom nude com olhos marcantes. E, podem notar, a maioria que apostou nessa make tem olhos verdes... Sobressaiu muito e eu simplesmente amei! Destaque especial para Sophie Turner (a musa ruiva da noite! me empresta seu cabelo??) e Kelly Rowland, uma inspiração divina para as negras (olhos maravilhososss com a boca neutra!).

Curti as makes e muitos looks (principalmente da Cate Blanchett e da Lady Gaga musa!)! E também preciso expressar minha felicidade em ver que o DiCaprio levou o Oscar (finalmente, hein, colega?)!!!
E vocês, têm a sua preferida da noite? Me contem!
Beijinhos

Oi pessu! Esse mês de Fevereiro, o tema do grupo "Discípulas de Carrie" é Carnaval! Claro! Escolhi falar exatamente para quem não curte muito essa festa cultural: "Serie Blahnik, uma série pra maratonar enquanto não viro Rainha da Bateria. Não vai ser dessa vez que vai ganhar posição de destaque na escola de samba. Então dê dicas de séries pra fazer uma maratona nos dias de folga!" Adorei! Haha Escolhi falar sobre apenas uma: Downton Abbey.


Motivo? Eu estou para fazer uma maratona dessa série desde o início das férias. Acabou que fui colocando outras séries na frente e agora minha facul já voltou. Mas insisto! Um dia verei episódios seguidos sem parar sim, porque é simplesmente maravilhosa! Vi poucos episódios e já fiquei encantada. Bora saber mais um pouco sobre Downton?


Sinopse: "No início do século XX, a família Crawley luta para manter o legado de Downton Abbey. Após a morte de um parente que estava à bordo do Titanic, Robert Crawley (Hugh Bonneville) descobre que o novo herdeiro da propriedade é um sobrinho distante, Matthew Crawley (Dan Stevens), um advogado com pensamentos modernistas. Enquanto Robert e sua esposa Cora (Elizabeth McGovern) se preocupam com o futuro das suas filhas, Mary (Michelle Dockery), Edith (Laura Carmichael) e Sybil (Jessica Brown Findlay), os empregados da mansão trabalham para manter a rotina da família, com todas as regras da época." (Adoro Cinema)


Já adianto que a série é dramática e histórica, então quem curte estes gêneros vai amar! Os figurinos são impecáveis, assim como os cenários e toda a decoração. Os personagens, por sua vez, intrigantes e envolventes. Claro que tem um toque de sarcasmo nas falas das personagens que acaba levando algumas cenas ao cômico, o que deixa a série mais leve. Eu curti os primeiros episódios que tive a oportunidade de ver e quero continuar assistindo. Aproveitem, tem na Netflix! ;)


Beijinhos!


Oi gente! Eu assisti ao filme "Joy, o nome do sucesso" no dia do meu aniversário - na última quarta-feira -  e achei o filme tão bacana que ele não merece apenas uma resenha. Então hoje este post está mais para reflexão, porque é isso que o filme acarreta, uma tremenda reflexão sobre a vida. Eu não esperava menos, afinal, foi indicado ao Globo de Ouro, além da Jennifer Lawrence (personagem principal) ao Oscar na categoria de melhor atriz. Sem falar na atuação impecável de Bradley Cooper. Segunda vez que trabalham juntos e são bem sucedidos, sou fã desde "O lado bom da vida".


A história, bem resumidamente, é sobre a Joy Mangano (Jennifer Lawrence), criativa desde a infância, entrou na vida adulta conciliando a jornada de mãe solteira com a de inventora e depois de tanto tentar pôr no mercado a própria invenção do esfregão (que torcia sem precisar usar as mãos), tornou-se uma das empreendedoras de maior sucesso dos Estados Unidos. O filme é baseado em uma história verídica.


A criança
"Joy, o nome do sucesso" vai do drama ao cômico em minutos. Mas uma coisa é certa: Ele te prente do início ao fim numa proposta de flashbacks: aparece a infância da Joy e, logo, lá está ela adulta se virando em mil e cuidando de sua filha. Como eu disse, me causou uma reflexão. A Joy, desde criança tinha o dom de inventar coisas e criá-las - no sentido concreto da palavra. Sua avó sempre a apoiou nesse quesito e foi a única que a apoiou por muito tempo. Mas o que mais me tocou foi a Joy conversando com ela mesmo, isso... com a mini Joy, lá da infância. E aqui que eu queria chegar. Quantas vezes a nossa criança interior nos cobra, nos fala ao ouvido e fica lá no fundo da nossa mente ecoando uma voz? A minha pergunta diariamente se era aqui, onde estou, que eu queria estar. Se eu estou satisfeita em estar fazendo o que simplesmente resolvi fazer adulta. Porque a gente sabe... no fundo, a felicidade só depende disso. De uma conversa sincera com aquela criança que tanto queria crescer e desvendar o mundo e criar coisas maravilhosas - que saíssem do papel. Eu me lembro, de quando mais nova, criar uma casinha de papelão, caixinhas de fósforo e muito lápis de cor para brincar com as minhas Pollys. E daí que eu cresci e me formei design de interiores... Que loucura... Hoje posso projetar umas decorações de verdade. Assim como os vestidos que eu desenhava aos 8 anos e colava ímas atrás deles para todos os dias trocar a roupa da boneca de papel no quadro de metal. Eu gostava tanto disso que fui fazer Desenho de Moda depois de alguns anos... E agora vou fazer um curso de Modelista. No fundo, acho que todo mundo tem um pouco da Joy. Um hobby pode virar um negócio. Mas dependemos de pôr as cartas na mesa com aquela criança, para ela nunca nos deixar abandonar nossos planos e sonhos. E nos dar coragem.


Padrões e sociedade
O filme se passa há algumas décadas (podemos observar pelas roupas, cenários...) - ainda não encontrei o ano exato. Mas  percebi que essas décadas cobravam que a mulher fosse casada, tivesse filhos, fosse a dona de casa e esposa perfeita e o clichê de sempre - que me perdoem os conservadores! - e mais um trabalho... a mulher moderna já havia surgido, mas ainda não dera o ar da graça a famosa emancipação, mesmo com o divórcio que é retratado no filme (não falo desse tipo de emancipação, mas sim da mulher ser ela mesma). Então a Joy tentou seguir esses padrões, acredito que, até mesmo, por influência de sua avó, mas a sua vida é virada ao avesso. Seu marido muda, ela volta a morar com a mãe, esta que por sua vez, divorciada há anos, não consegue admitir que homens pisem em seu quarto (para ela é um ato desrespeitoso) - nem para trocar canos que estouraram. Então vemos muito da sociedade patriarcal e machista presente no filme, o que também causa diversas reflexões e comparações com os valores da sociedade atual.


Marketing
Por mais que a Joy tivesse ideias, ela não conseguiria vender seu produto sozinha. No entanto, seu discurso era tão persuasivo que conseguiu influenciar o dono de um canal televisivo, que fazia vendas por telefone, para que investisse na propaganda de seu produto. Mas foi muito investimento jogado fora, investimentos pelos ares! 50 mil espanadores - que representavam a hipoteca de sua casa e empréstimos em cima de empréstimos. Isso tudo porque o ator escolhido para propagar no canal fracassou. Mas a Joy teve uma segunda chance e, se ela vendeu o produto para o dono do canal televisivo, era ela quem venderia também quando estivesse no ar. O marketing é a alma do negócio e nada mais justo fazê-lo, expondo sua história real.


Independência
Ah, isso só pode ser de Joy! rs O filme revela muitas surpresas que não quero revelar aqui - de como o mundo dos negócios é uma montanha russa. Um dia você está lá em cima, no outro, você despenca. No caso da Joy, para ela conseguir ascender e permanecer no alto, ela mostrou-se independente. Ninguém assinaria em nome dela, ela procuraria empresas, ela resolveria processos e estudaria seu próprio caso. Acredito que a personagem levou para o cotidiano a função de "faz-tudo" que ela sempre teve em casa com sua família louca. Por fim, numa sociedade marcada pelo patriarcalismo, o segredo foi acreditar no seu potencial, dialogar com a criança cheia de sonhos que fora e aliar à isso o seu discurso persuasivo e a independência que tinha dentro de si para ser o nome do sucesso. 

Fica o trailer!


Espero que tenham curtido. Já assistiram? Amaram tanto quanto eu ou não? Ou ainda não viram e estão curiosos?
Comenta aí, vou adorar saber!
Beijos!